A Gramática (não) é Dramática – Práticas digitais e ambientais (Port. e Ing.)

O professor de língua portuguesa ou estrangeira está consciente da forma complicada como o estudo e aprendizagem da Gramática é encarada pelos alunos. Acresce a este drama o facto de não entenderem a sua aplicabilidade na oralidade e na escrita. Esta realidade impulsiona o professor a procurar e adotar novos recursos didáticos, a fim de garantir um ensino eficaz e uma aprendizagem significativa. Acionadas a criatividade e a flexibilidade, podem-se proporcionar dinâmicas letivas emocionantes e com cariz teatral/surpreendente para otimizar a forma de aprendizagem. Assim, em Website gramatical, surge a atividade digital e ambiental “Gramática ao Ar Livre – à Procura da Gramática Perdida – desafios”, para aplicar e consolidar conteúdos e criar produtores de conteúdos: influenciadores gramaticais.

Carla Machado
Professora do grupo 330, licenciada em Português-Inglês pela Universidade do Minho, com Mestrado em Língua, Cultura e Literatura Inglesas pela Universidade do Minho, com Pós-Graduação em Organização de Bibliotecas Escolares pelo Isla, formadora em vários domínios. Pertence ao quadro da Escola Secundária Camilo Castelo Branco e coordena o Clube Europeu, Escola Embaixadora do Parlamento Europeu e é membro da Equipa de Internacionalização de Projetos. Lidera projetos nacionais e internacionais.

Maria José Morais Silva
Professora do grupo 300, licenciada em Ensino do Curso de Humanidades, pela Faculdade de Filosofia de Braga da Universidade Católica Portuguesa, com Mestrado em Ciências da Educação – Especialidade Pedagogia – pela mesma Faculdade e formadora no âmbito do Português e Cultura Clássica. Pertence ao quadro do Agrupamento de Escolas D. Maria II – Vila Nova de Famalicão, onde é Representante da disciplina de Português (2.º e 3.º ciclos), faz parte da equipa do PCE e promove Projetos de articulação curricular, Projetos DAC e dinâmicas letivas no âmbito do Projeto de Desenvolvimento Digital da Escola (PADDE).