Cristina Fontes

Licenciada em Ensino de Português e Inglês, com estágio integrado pela Universidade do Minho e Mestre em Supervisão Pedagógica Pedagógica em Ensino de Português, pela mesma Universidade. É formadora acreditada pelo CCPFC, desde 10 de julho de 2000. Colabora no jornal Correio do Minho, desde 2017, onde publica artigos em língua portuguesa. Fundou e administra um grupo de discussão no Facebook, intitulado “Dúvidas partilhadas sobre Gramática”.

Tem vido a dinamizar várias palestras a convite de escolas e/ou outras instituições no que respeita ao Acordo ortográfico de 1990; os trabalhos de casa; o Dicionário Terminológico; as Metas Curriculares. Colaborou na organização e dinamização de Encontros Científicos, sendo membro da Comissão Organizadora das Conferências Challenges’ 99 e 2001, levadas a cabo pelo Projeto Nónio da Universidade do Minho e moderadora em alguns colóquios, conferências, debates e apresentação de livros organizados pelo Projeto Nónio da Universidade do Minho e pelas escolas onde lecionou.

Apresentou algumas comunicações em Conferências e Congressos Internacionais, nomeadamente: “As Novas tecnologias na Aprendizagem – Um Estudo de Caso em Aulas de Apoio Pedagógico Acrescido” e “As TIC em Portugal: que Rumos?” (1999), Comunicações apresentadas em Challenges’99/Desafios’99 – II Conferência Internacional – TIC na Educação; e a Comunicação: “Um Contributo para o Estudo da Difusão das TIC nas Escolas com Projeto Nónio” (2000) apresentada no V Congresso Galego-Portugués de Psicopedagoxia.

Publicou alguns estudos e trabalhos, nomeadamente: “Estudos de Caso em Portugal: Escola Básica do 2.º e 3.º ciclos de Cabreiros, Portugal; As Tecnologias de Informação e Comunicação e a Qualidade das Aprendizagens- Estudos de Caso em Portugal” (2002); “Estudos de Caso em Portugal: Escola Secundária da Póvoa do Lanhoso, Portugal; As Tecnologias de Informação e Comunicação e a Qualidade das Aprendizagens- Estudos de Caso em Portugal (2002). Um Contributo para o Estudo da Difusão das TIC nas Escolas com Projecto Nónio (2000).