Conferência

A oralidade é a temática central do SUPER02 – Transversalidades no Desenvolvimento da Oralidade, através do qual se pretende superar o tradicional olhar orientado para o modo como os professores trabalham a oralidade, construindo uma perspetiva que conceba o ensino a partir dos seguintes pressupostos fundamentais:

• As interações entre os diferentes domínios de atuação verbal;
• As implicações do desenvolvimento da oralidade no sucesso dos alunos;

• A importância da capacitação dos professores para novas práticas de gestão curricular e de trabalho na sala de aula, assente na interdisciplinaridade.

A oralidade é a tradição falada de uma língua e de uma cultura. A linguagem oral e a literacia são dimensões interdependentes, as competências da linguagem oral sustentam o caminho para o desenvolvimento da literacia, sendo, por essa razão, urgente a inclusão da oralidade na educação. O ensino-aprendizagem da oralidade não possui um tratamento próprio, não é objeto de planificação e ensino sistemáticos, numa perspetiva de desenvolvimento das capacidades comunicativas orais dos alunos (ouvir/falar), em interação com o ler e escrever.

Temas

• O advento dos social-media e as experiências humanas: sociolinguística;
• O discurso oral interativo como resultado dos objetivos, componentes contextuais e interlocutores;
Alterações comunicativas resultantes da descentralização das fontes de conhecimento;
Princípios pedagógico-didáticos no ensino da oralidade;
• Caracterização da comunicação oral: Escrita vs. Oralidade – a informalidade/formalidade da fala, os fatores extralinguísticos e o contexto, a ocorrência léxica e a descontinuidade;
Competência comunicativa como a competência linguística mais compreensiva: aprender uma língua para comunicar saberes;
Avaliação da oralidade: articulação com os domínios da leitura e da escrita;
• Valoração (processual, crítica, compreensiva e qualitativa) na análise de conteúdo;
Triangulação de dados e a exigência reflexiva (oralidade, leitura e escrita);
• A avaliação e a regulação pedagógica: a gestão dos erros e a consolidação dos êxitos;
• Suportes para a Autonomia da Aprendizagem das Línguas e estratégias de desenvolvimento: aspetos discursivos, conteúdo/argumentos, implicação física/psicológica.

Objetivos

Reconhecer a relevância da flexibilização curricular e das estratégias de ensinar e aprender, articulando áreas do currículo e disciplinas, com recurso a domínios de autonomia curricular;
Adquirir competências para o incremento de novas metodologias colaborativas alinhadas com o perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória;
Desenvolver competências inovadoras, nas dimensões científica, didática, pedagógica, social e ética;
Articular procedimentos e estratégias pedagógicas entre docentes de diversas línguas e níveis de ensino;
Partilhar experiências e práticas promotoras do desenvolvimento profissional assentes no trabalho colaborativo;
Aumentar as competências tecnológicas dos docentes, com a disponibilização de recursos, comunicação e reflexão;
Criar conhecimento sobre competências transversais e específicas de cada língua, associadas aos domínios de interação verbal;
Definir estratégias didáticas de promoção do desenvolvimento em contextos educativos.